jump to navigation

Aperto no coração… 13 julho, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
5 comments

Oiês!!!
Quanto tempo que não escrevo, né? Vidinha corrida!!!
Dá pra acreditar que o meu Milagre já completou 4 meses de nascida!? Cada dia mais lindinha, esperta, saudável, inteligente, próspera, abençoada e amada! E eu repito isso pra ela todo dia (palavras de mãe têm uma força incrível, define vidas!).
Ela já tá pesando mais de 7,755Kg e medindo 62cm de altura! E tudo isso graças ao leitinho da mamãe!!! ê ê ê ê ê ê! Não sou uma vaquinha leiteira, mas não falta comidinha pra Rafa, graças a Deus!!!! Ela é uma bênção!!! Quase não chora, dorme super bem a noite inteira, ama tomar banho, conversar e sorrir quando fazemos cócegas nela…
Ah, tem uma novidade: os 02 dentinhos inferiores já estão com as pontinhas de fora!!! O sorrisão dela já não está tão banguela, hehe… mas, dá uma dó… tem momentos que ela fica irritada porque coça e deve doer tb, né? Aí, mamãe passa um gel anestésico (Nenêdent) e passa uma fraldinha molhada, com carinho, na gengiva dela… (Se os adultos sofrem com o nascimento do bendito siso, imagina como sofrem os bebês com o nascimento de todos os dentinhos).
Sem contar que ela quer ficar mais pertinho da mamãe e do papai… e olha que ela nem gostava muito de colo, preferia se esticar todinha no berço, na cama, no tapetinho de atividades… agora, quando os dentinhos incomodam muito, ela pede pra vir pra o colo (tá aprendendo esticar os bracinhos pra gente pegá-la) e quem resiste a uma pessoinha tão fofa?
A questão é que, nestas últimas semanas, quase não tô conseguindo organizar minha casa (sim sim salabim, além de mamãe, sou dona de casa, cozinheira, lavadeira, faxineira e muitos outros eiras, rs), graças a Deus pelo maridão que Papai do Céu me deu! Sabe lavar louças e limpar a cozinha melhor do que muita dondoca!
Sem falar tb que eu tô um “trem”! Ainda acima do meu peso ideal e sem tempo pra ir ao salão… aff… mas, sem stress! Daqui a pouco, a Rafa estará comendo papinha e eu poderei restringir minha ingestão de calorias (papo chato, mas necessário!), além de sair do sedentarismo e mudar um tiquinho, especialmente o cabelo…
Porém, o aperto no meu coração (título deste post), é por outro motivo que me faz chorar todos os dias: minha licença-maternidade tá acabando… mais precisamente em meados de setembro…
Meu Deus! Quem inventou que a mulher teria que participar do mercado de trabalho em pé de igualdade com os homens???? (eita, vou comprar briga com as feministas!).
Sinceramente, acho que as mulheres são tão ou mais capazes que os homens em determinadas atividades laborais, mas nós temos um “oficio” muito mais importante e fundamental pra sociedade: ser, de fato, mãe!
Isso não significa que nós, mulheres, devemos ficar restritas as atividades de dona de casa… mas, por que temos que trabalhar em horário integral? Por que há tão poucas profissões e funções que possibilitam o trabalho em meio período?
Não me sinto preparada pra retornar ao trabalho… não por mim, eu amo trabalhar, amo me sentir útil e desafiada! Porém, com quem deixarei minha pequena????
Como essa pergunta deixa o meu coração apertado e me faz chorar… tô chorando agora enquanto escrevo, pois penso que não acompanharei de pertinho as conquistas e novidades diárias dela… e principalmente porque não sei com quem deixá-la… não há ninguém de confiança disponível e eu jamais teria coragem de ter uma pessoa estranha dentro da minha casa cuidando do meu tesouro…
Então, só me resta a opção de contratar um berçário…

E sempre que penso em berçário, imagino um depósito de bebês… um lugar insípido, de rotina rígida e sem graça, e sem o carinho e a atenção que só a mamãe pode dar… ainda com o risco de contrair doenças em razão da convivência com tantas outras pessoas… pra tentar minimizar o risco de contrair doenças graves, eu e o Ti decidimos pela aplicação de vacinas particulares (contra meningococo e pneumococo – evita pneumonia, meningite, otite e outras ites…) cujo valor ultrapassa a “bagatela” de R$ 1.000,00…
Ah, sem contar que os bons berçários no Plano Piloto (prefiro lá pra ficar próximo do meu local de trabalho) custam, no mínimo, R$ 1.200,00 por mês, pra ficar horário integral…
E por essa e outras é que eu não posso me dar o luxo de não trabalhar… afinal, eu e o Ti, como todo casal em início de vida conjugal e sem apoio financeiro de terceiros (leia-se dos pais, rs), temos muitas contas pra pagar e queremos dar o melhor possível pra nossa bebê…
Acontece que nada alivia o aperto do meu coração…
Como minha menininha reagirá a essa brusca mudança de rotina e de ambiente? Será que ela continuará tão sorridente e se desenvolvendo tão bem? Será que o tempo de qualidade que eu darei pra ela será suficiente pra compensar a quantidade de tempo disponível?
Ainda faltam 02 meses pra findar minha licença-maternidade… e meu coração já chora com a saudade que sentirá da minha gorduchinha…
Por isso, amigas que ainda não são mamães, se possível, façam uma boa poupança antes de engravidar para que possam prolongar sua “licença-maternidade” até o seu bebê completar 1 aninho de idade, no mínimo… acho que é a melhor solução…
Contudo, se o inesperado e tão desejado acontecer, creia que Papai do Céu estará no comando e tudo dará certo! É nisso que me apego…
Bjos,
Fê, mamãe da Rafaela

 

P.s.:  já assistiram os vídeos da Rafa no youtube?

Então, um pouquinho das gracinhas dela pra vcs:

 

Anúncios

“Conhecereis a Verdade… 15 junho, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
add a comment

E a verdade vos libertará…” – João 8:32

Esse versículo foi dito por Jesus, a seu próprio respeito, pois Ele é a Verdade. Pensando sobre isso, concluí, entre outras coisas, que Jesus é a Verdade porque sua Vida sempre refletiu suas palavras e convicções, de forma integral e absoluta. Ele era e é! Ponto final…

Mas, embora me encante pensar sobre Jesus e sua vida, neste post quero destacar a sabedoria perene deste versículo: a verdade, no sentido de conhecimento, nos liberta!

Eu sempre achei importantíssimo, antes de começar qualquer empreendimento ou experimentar coisas novas, a necessidade de se obter um conhecimento prévio sobre o assunto… por isso, sempre leio o manual de instruções de todo e qualquer aparelho antes de utilizá-lo pela primeira vez! rs…

O conhecimento liberta! Especialmente de crenças falsas… e eu quero me referir as crendices relacionadas à amamentação!

Como eu já havia dito em outras postagens, engravidar da Rafa foi um milagre e amamentar tb seria, por causa do probleminha de saúde que eu tinha (verbo no passado, em nome de Jesus! Só quando a Rafa completar 6 meses é que farei novos exames de sangue e de ressonância magnética).

E graças a Deus, sou a “mulher-mamadeira”, ahahaha… desde o 3º dia de nascida da Rafa, há momentos em que, literalmente, sai um jatinho de leite dos meus seios, rs… e minha mocinha não conhece outra comidinha ou bebida que não seja o leitinho da mamãe! E será assim até ela completar os 06 meses…

Durante minha gravidez, eu li muito sobre amamentação e consolidei minhas convicções: amamentar, exclusivamente no peito, a Rafaela durante os seus primeiros 06 meses de nascida, e isto significa não oferecer nenhum tipo de suquinho, cházinho ou água, e em livre demanda, ou seja, ela mama o quanto quer e na hora que quiser.

Mas, quando me manifestei neste sentido, ouvi uma “enxurrada” de idéias falsas sobre a amamentação, do tipo: “seus seios não cresceram muito e você não terá leite suficiente pra Rafaela, vai ter que dar um complemento”, “seu leito é fraco”, “tem que dar chuquinha com água, senão ela vai ficar com sede”,  “todo bebê tem que tomar algum cházinho pra ficar calmo e melhorar as cólicas”, “não há necessidade de amamentar por tanto tempo”, “tem que dar mamadeira com mingau antes de dormir pra ela não sentir fome durante a noite”, e por aí, vai…

Gente, e eu não ouvi isso de pessoas inexperientes, não… minhas avós, que tiveram 11 filhos cada uma, me disseram algumas dessas frases! Minha sogra, minha mãe… e vi tanta cara feia quando eu não cedia a essas crendices, rs… acho que elas pensaram: “será que a Fernanda tem capacidade pra cuidar da Rafaela sozinha?”

E sim, Papai do Céu tem me capacitado pra cuidar dessa menininha linda e cada dia maior e mais saudável! Iupiiii!

Ah, pra futuras mamães que lêem meu blog (muito obrigada pelo carinho!!!), tenho que compartilhar um pouquinho da minha experiência: é preciso perseverar! Na 1ª semana de nascida da Rafa, foi muito dolorido amamentar porque meus seios racharam um pouquinho… primeiro porque eu e a Rafa ainda estávamos aperfeiçoando a posição mais confortável e correta da pega pra nós duas, e depois, porque meus seios não tinham o costume de serem sugados de hora em hora, rs…

Geralmente, o primeiro minuto de amamentação era o mais dolorido… repito, é necessário perseverar! Eu me sentava na poltrona de amamentação, apoiava os meus pés sobre um puff, e prendia a respiração assim que a Rafa pegava o meu peito, rs… e quando ela terminava de mamar, eu passava um pouquinho de leite no meu peito (é um excelente cicatrizante) e o deixava de fora (minha mãe me apelidou de índia, rs)… quando ele tava mais machucadinho, eu passei a pomada Bepantol e antes de amamentar a Rafa, eu lavava meu seio apenas com água pra tirar a pomada.

Depois da 2ª semana, não tive mais nenhum problema! Já adquiri até a capacidade de amamentá-la enquanto caminho no supermercado ou no shopping! Confesso que isso tá cada dia mais difícil porque minha princesa tá pesadinha, heheh…

É tudo de bom amamentar! Tanto pra mamãe e principalmente pra o nosso bebê… poderia listar dezenas de benefícios do leite materno, mas quero destacar duas coisas: é uma verdadeira vacina, pois protege o bebê de diversas doenças (o bebê não produz anticorpos, depende daqueles que são produzidos pela mãe e compartilhado através do leite) e também favorece um contato mais íntimo e extremamente prazeroso entre a mamãe e o bebê! Sem contar que ele é limpo, está sempre pronto e quentinho, e não custa nada! Hehe…

Quem AMA, AMAmenta!!!!

Ah, to me propondo atualizar o blog com mais freqüência… e pra isso, to organizando minha rotina, rs… se Deus quiser e a Rafa deixar, volto em breve!

Bjos pra todas!!!

Mamãe da Rafaela

Amamentar!

Presente de Deus 9 maio, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
4 comments

Tô super-hiper-mega-blaster feliz!!! Tenho mais um dia festivo pra comemorar, além do dia das crianças, da Páscoa, do Ano Novo e dos aniversários (propriamente dito, de casamento, de relacionamento e blábláblá), rs… Todo segundo domingo de maio é dedicado a mim, pq agora eu sou MAMÃE! Iupiiiii!!!

E o que é melhor: já ganhei o meu presente! Melhor do que eu sempre sonhei… é lindo, único, muito especial, me diverte o dia todo, tem um cheirinho muito bom, é gostoso de abraçar, todo mundo admira, faz uns barulhinhos engraçados e bonitinhos, tem função de despertador, é quentinho, não é enjoativo, é carinhoso, é recarregável (rs), me faz muito feliz, só me dá motivos pra sorrir e agradecer, além de diversas outras características que não dá pra descrever… ah,  e não tem prazo de validade, é pra sempre!!!!

Já sabe do que eu tô falando, né? Ou melhor, de quem… o meu melhor e maior presente é a Rafaela!!! E foi Papai do Céu que me deu!!!

A Rafa já está tão integrada à minha vida, à minha rotina, que a impressão que eu tenho é que ela sempre fez parte… é tão gostoso conviver com ela… a gente tem uma cumplicidade tão grande!!! É delicioso perceber que, apesar dela não se expressar com palavras o que está sentindo ou querendo, eu consigo desvendar quando ela tá resmungando pq tá com soninho, ou com vontade de ná-ná (é assim que chamamos a hora da amamentação) ou com fraldinha suja ou querendo atenção… tb dá um prazer enorme acompanhar o crescimento e as descobertas dela…

Ela tá tão grandinha! Cada dia mais gostosa e sorridente! Gosta muito de conversar (é genética, rs), de ouvir o papai cantar quando está no colinho dele, de tentar imitar os barulhinhos que a gente faz com a boca, de brincar de pula-pula no colo da vovó Linda, de bater as perninhas e movimentar todo o corpinho na hora do banho, de ficar no tapetinho de atividades brincando com os bichinhos que fazem barulhos, de olhar para objetos coloridos e brilhantes, de passear e conhecer novos lugares, de trocar a fraldinha, de dormir do ladinho direito, de se lambuzar com a própria mãozinha (chupar dedo é prejudicial, mas o ato de levar a mão à boca é super natural pq especialistas dizem – e a prática comprova – que bebês começam a conhecer o mundo pela boca). E ela AMA o leitinho da mamãe!!! rs…

Ah, detalhe, a Rafa quase não chora… só chora depois que resmunga muito e a gente não vai de imediato atendê-la… aí, ela mostra que tem pulmões fortes! Hehe…

Ela é muito boazinha, não dá trabalho nenhum… acorda apenas uma vez na madrugada para mamar e ainda com um sorrisão! À noite, a rotina dela é mais ou menos assim: dorme umas 06 horas seguidas, acorda, mama, troca fralda, mama mais um pouquinho, e dorme mais umas 04 ou 5 horas… durante o dia, ela mama bastante e fica várias horas acordada, mas quase não preciso ficar com ela no colo (fico mais tempo pq eu gosto mesmo! rs)… ela fica acordadinha e feliz mesmo sozinha no bercinho dela ou brincando no tapete de atividades… quando ela se cansa e fica com sono, ela resmunga e eu a amamento… assim que ela fica bem sonolenta, coloco no bercinho e se ela ainda tiver um pouco agitada, é a única hora que ela aceita uma chupeta e rapidinho ela dorme… nunca precisei ninar a Rafa pra dormir… e graças a Deus, há 3 semanas ela não sente cólicas!!!

Eu e o Ti já combinamos que, quando ela tiver maiorzinha, vamos querer mais um bebê! Hehe… na verdade, o Tiago diz que estarei grávida, novamente, em dezembro deste ano… mas, dessa vez, o Segredo não vai funcionar, rs… quero curtir muito a primeira infância da Rafa e se for da vontade de Deus que tenhamos mais um(a) filho(a), quero que seja depois que ela já estiver mais independente, com uns 3 aninhos… É cansativo? Sim, é… mas, dá um prazer enooooormeeeee!!! Olha que delícia:

sorriso melhor do mundo

Eu nunca havia sentindo um Amor como o que eu sinto pela Rafaela… é tão incondicional e tão altruísta… eu quero e faço o possível e até o impossível pra dar o melhor pra ela… o melhor carinho, as melhores palavras (nem preciso vigiar meus lábios para somente abençoá-la e profetizar o melhor na vida dela), a melhor atenção, o melhor cuidado, a melhor oração, e o melhor conforto material que eu e o Ti pudermos oferecer… e ela retribui tudo isso com um sorriso lindo e com um carinho com a mãozinha enquanto estou a amamentando…

Para mim, definitivamente, ser mãe é o que Deus reservou de melhor para a mulher!

E é por isso que hoje, mais do que nunca, eu valorizo a minha mãe… e começo a compreender que, se algum dia ela errou na minha criação ou no relacionamento comigo, foi tentando acertar… e eu a amo mais!!! E sou imensamente feliz por observar o amor que ela tb sente pela Rafa… é difícil ela passar mais que 2 dias sem vê-la, rs… tudo o que eu sou hoje, eu devo aos meus pais e especialmente, à minha mãe…

A Rafa com 17 dias sorrindo no colo da minha mãe:

Rafa com 17 dias

E com 1 mês e 15 dias (linda, né?):

colo da Vovó

 Dona Linda! Papai do Céu já me presenteou ainda quando eu era um sonho no coração dEle ao escolher o seu ventre para me gerar… eu te amo muito!!! Tenho muito, muito, muito orgulho de ser sua filha!!! Quero ser pra Rafa a mãe que a senhora foi e é pra mim!!!

E tb não posso deixar de falar sobre a minha sogrinha… dona Irimar, muito obrigada por ter sido e por ser uma mãe tão especial e amorosa!!! Por ter criado o Ti tão bem, com um caráter tão bacana e por ter confiado em mim, ao delegar a tarefa de cuidar dele, rs… amo muito a senhora e sou feliz por saber que a Rafa tem uma avó tão querida!!!

E para todas as mamães e futuras mamães que compartilham carinho comigo, acompanhando meu blog, eu desejo de coração: FELIZ DIA DAS MÃES!!! Que Papai do Céu as abençoe com toda sorte de bênçãos, com a realização de todos os desejos de seus corações, segundo a vontade dEle que é boa, perfeita e agradável! Que Ele restitua tudo aquilo que for preciso, para que sempre haja união em suas famílias e gratidão de seus filhos…

Ah, eu me identifiquei com um trecho que li no blog da Claudia Leitte (tenho uma mega admiração pela pessoa dela, apesar de não curtir suas músicas, mas isso assunto pra outro post, rs), ei-lo:

“Porque ser mãe é eleger uma vida na frente da sua, e a partir dela, a sua passa a ter um significado”.

Beijos carinhosos pra todas!!!!

Fê, a mamãe da Rafaela

Ser mãe é padecer no Paraíso… 6 maio, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
2 comments

Eu entendi exatamente o significado dessa frase assim que acabou o efeito da anestesia e me levaram para o quarto juntamente com a Rafa…

Gente, eu tava um caco! Já era quase 15h e não tinha comido nada! E só poderia comer depois das 20h… tb não poderia me levantar até lá, nem usar um travesseiro… tive que passar 08 horas deitadinha, quase imóvel e tomando soro, em razão da cesariana… graças a Deus que recebi muito apoio do Ti, da Bú, da minha mãe…

Ah, detalhe: não poderia falar!!! Pq se falasse, me encheria de gases e passaria muito mal!!! Quem me conhece sabe que eu quase não gosto de conversar, hehe… e eu doidinha pra contar o que tava sentindo… mas, meu médico que sabe que eu “quase” não gosto de falar, já havia avisado o pessoal que era pra eu me manter em silêncio… então, mal eu abria a boca e já tinha alguém fazendo “shiiiiii”… (dica: o silêncio é precioso! Sofrer com gases, com a barriga toda costurada não é brinquedo não),

Mais uma coisa “trash”: usar a tal da comadre, rs… meu obstetra disse que eu teria que esvaziar a bexiga nas primeiras 06 horas após a cirurgia e eu até sentia vontade, mas em razão da anestesia, eu não conseguia… foi muito ruim! Primeiro ficar só de camisolinha, ainda sangrando bastante, morrendo de vontade de fazer xixi e não conseguir, apesar do esforço, nem ouvindo o barulhinho do chuveiro ligado me ajudou, rs… eu queria ficar em pé pra ver se a lei da gravidade me ajudaria, hehe… mas, tb não podia… depois de muito tempo tentando, e com a ajuda da comadre, consegui fazer um pouquinho…

Apesar disso tudo, a Rafa queria peitinho, rs… e alguém sempre a colocava ao meu lado para que eu a amamentasse deitada… é super importante amamentar logo após o parto, pq isso ajuda a contrair o útero, diminuindo e evitando hemorragias, além de ajudá-lo a retornar ao tamanho normal… por isso, durante o período de resguardo, é comum sentir cólicas parecidas com as menstruais a cada vez que se amamenta…

Só que eu não imaginava o que seriam estas contrações poucas horas depois da cesariana e sem mais o efeito da anestesia… doeu muito!!! Uma dor insuportável!!! Acho  que senti dores semelhantes a dor parto normal… eu realmente sentia meu útero se contrair e era muito dolorido!!! Confesso que a dor era tanta que eu pensei: “Tô satisfeita com a Rafa, não quero mais ter bebê”, rs…

E apareceu uma enfermeira pra me dar dipirona… e a dor foi amenizada…

Realmente, eu não senti nada durante o parto, mas o pós-parto imediato foi dolorido pra mim…

Quando, finalmente, o relógio marcou 20h, eu quis levantar… mas, tinha medo de arrebentar os pontos e tava me sentindo muito fraca e tonta…  e meu maridinho me ajudou a ir ao banheiro e me apoiou enquanto eu tentava tomar banho e tb me ajudou a me vestir…

E chegou a comidinha… nunca tinha comido em hospital, mas, sinceramente, a comida era ótima! Ou será que eu tava com muita fome? Hehe…

E tem mais: a cada 06h aparecia uma enfermeira pra fazer exame de glicose na Rafa… ela ficou cheia de “band-aid” nos pezinhos… isso pq ela nasceu com aproximadamente 4 kg  e poderia sofrer de hipoglicemia… chegaram a cogitar se eu teria sofrido de diabetes gestacional… como isso não aconteceu, acharam melhor continuar monitorando a glicemia dela, pra espancar qualquer suspeita… mas, graças a Deus, a única coisa que se confirmou é que minha bebê é super saudável!

E assim, passei meu primeiro dia…

Eu tava ligada na tomada… não consegui dormir nenhuma hora… passei a noite em claro, de olho na Rafa e pronta pra amamentá-la quando fosse necessário… assisti toda a programação da National Geographic de madrugada, hehe… e minha mãe e o Ti se revezam pra sempre ter alguém acordado comigo… e eu não sentia sono ou cansaço…

De tempos em tempos, uma enfermeira entrava pra me dar alguns remedinhos: analgésico, luftal e um remédio pra auxiliar na contração do útero…

No outro dia, sábado, eu tava pilhada! Já querendo caminhar pelo quarto, ir sozinha ao banheiro, apesar de todo o esforço… mas, sempre tinha uma pessoa sábia ao meu lado que me controlava, rs… e fiquei super na expectativa pra a hora que tirariam o soro…

Isso aconteceu por volta das 14h e a primeira coisa que eu quis fazer foi pegar a Rafa no colo… mas, minha primeira vez não frustrante… fui com muita sede ao pote e não tinha nenhuma habilidade… minha prima teve que me ajudar… na realidade, não foi tão ruim assim… mas, eu dei uma dimensão enorme pra isso… é um turbilhão de sentimentos que a gente tem… uma mistura de tanta coisa…

E pra complicar minha situação, meu colostro não era suficiente pra saciar a fome da Rafa justamente por causa do tamanho dela… eu oferecia o peito, ela sugava com força, mas a impressão que eu tinha é que nada saía… fiquei muitíssimo frustrada… e ela chorava com fome… diante disso, não tive escolha: chamei uma enfermeira e ela disse que o pediatra havia prescrito um complemento se fosse necessário… e pouco depois, chegou um copinho com o Nan… e ela tomou o Nan no copinho, fazendo barulho de “gut, gut”, como dizia minha mãe…

Nossa, não gosto nem de lembrar disso… me senti tão frustrada, tão triste… eu queria tanto amamentar minha filha, mas parecia que o que eu produzia não era suficiente… por mais que eu tivesse lido que o colostro é produzido em menor quantidade que o leite propriamente dito  e que este só desceria a partir do terceiro dia…

Mas, eu continuava profetizando que iria amamentá-la, apesar do desespero que eu sentia… e quase me ajoelhei no chão do banheiro pra clamar isso a Deus… e apesar de tudo, continuava oferecendo meus seios pra Rafa, não desistiria!

Na madrugada desse dia, uma enfermeira mais madura foi até o meu quarto e ofereceu um copinho de leite materno pra Rafa… fiquei tão aliviada… e ela ainda tava com fominha e dá-lhe “gut gut”…

Eu consegui dormir 02 horas direto… e no domingo, às 06h da manhã, meu obstetra foi me avaliar para me dar alta e a primeira coisa que eu o questionei: “se eu tenho colostro é pq produzirei leite e poderei amamentar, né?” Ele riu e me respondeu que o colostro era um tipo de leite importantíssimo para o bebê, pois é como uma vacina cheia de anticorpos, e que logo logo eu estaria produzindo o leite branquinho…

Para minha alegria, por volta das 08h da manhã, eu apertei um pouquinho o meu seio e saiu uma secreção amarela, da cor de manteiga! Era o leite de transição!!!! Tava tudo certinho, a prolactina que já havia me dado tanta dor de cabeça, literalmente, agora, tava agindo ao meu favor, fazendo com que eu tivesse muito leitinho! Iupi!!!

A partir deste dia, a Rafa nunca mais precisou de nenhum copinho de complemento, iuuuupiiiii!!!! Mas, sobre a amamentação, vou dedicar um post inteirinho!

E então, recebi alta e o pediatra tb deu alta pra Rafa…  fomos pra casa! E uma nova vida começaria…

p.S: a frase-título deste post só teve significado pra mim neste dia… pq eu tenho experimentado o Paraíso com a minha princesa… já tô até pensando em outro bebê, hehe… é bom demais!!!!

O primeiro olhar entre a Rafa e o Papai… lindo, né?

primeira-vez-colinho-do-papai

Meu milagre – parte II 6 maio, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
2 comments

Oiês!!!

Hj é o Dia Nacional da Alegria e tb o dia em que a Rafaela completa 2 meses de nascida! Iupi!!!! Passa rápido demais!!! E eu consegui um tempinho na minha rotina corrida pra compartilhar mais um pouquinho sobre minha vida nova…

Tô super feliz por perceber que há pessoas tão queridas acompanhando o blog da Rafa! Muito obrigada pelos recadinhos… assim que possível, quero responder cada um! (espero fazer isso antes do aniversário de 15 anos da Rafa, rs…)

Como há várias futuras mamães e leitoras do blog, continuarei relatando como foi o meu parto e o que aconteceu depois, pq acho que experiências, ainda que alheias, são importantes para nos dar confiança e tranqüilidade, especialmente quando estamos vivenciando um momento cheio de surpresas e novidades …

**************************************

Logo depois que eu e a Rafa batemos nosso primeiro papo, levaram-na para uma salinha ao lado do centro obstétrico, a fim de que ela fosse examinada pelo médico neonatologista (pediatra especialista em recém-nascidos) e recebesse os primeiros cuidados, tais como: verificar respiração e batimentos cardíacos, realizar um rápido exame físico do bebê, ligar o cordão umbilical e identificar o recém-nascido com uma pulseirinha, após obter as impressões digitais e do pezinho do bebê (tb é colocado uma pulseirinha na mamãe).  

Tb são realizadas as mensurações do bebê. A Rafaela, por exemplo, nasceu com 50cm de comprimento e pesando 3,995Kg (o Ti disse que se eu tivesse tomado um copo de suco, ela teria nascido com os 4Kg redondos, rs).

Além disso, o neonatologista verificou o índice de Apgar da minha princesinha. E o que isso significa? Consiste numa avaliação realizada com 1 e 5 minutos de vida, a partir do exame fisco do bebê, de cinco itens (cor da pele, freqüência cardíaca, esforço respiratório,  tônus muscular e como o bebê reage a estímulos), onde se atribui uma nota de 0 a 2 para cada item e a soma total corresponde ao índice de Apgar.

Assim, uma nota de 8 a 10 significa que o bebê nasceu em ótimas condições; nota 7, significa que ele nasceu com uma dificuldade leve;  de 4 a 6, nasceu com uma dificuldade moderada e de 0 a 3, o bebê nasceu com uma dificuldade muito grave.

Esse índice é importante para os médicos, pois a partir da constatação de alguma dificuldade na primeira avaliação, eles podem intervir a favor do bebê, quanto para os pais, pois a segunda avaliação, realizada aos cinco minutos, é considerada como fator de prognóstico da saúde neurológica do bebê.

Graças a Deus, logo no primeiro minuto, o índice de Apgar da Rafa foi 9 e aos cinco minutos, foi considerado 10!!! Ê, minha bebê já nasceu nota 10!!! rs…

Ah,eu pedi que minha prima, a Bú, que assistiu o parto, acompanhasse a Rafa o tempo todo (afinal, em tempos que se trocam bebês nas maternidades, não vale a pena arriscar, né?).

E enquanto cuidavam da Rafa e eu ouvia o som do chorinho dela, meu médico continuou os procedimentos em mim… acho que fiquei mais uns 30 minutos no centro cirúrgico… continuei me sentindo ainda tonta, com um pouco de falta de ar e durante alguns segundos, quase me engasguei com a minha saliva, pois eu não conseguia engolir… efeitos da anestesia.

Enfim, terminaram… e logo me transferiram para uma outra maca… neste momento, tive ânsia de vômito, mas o anestesista e as enfermeiras me garantiram que era normal…

Então, me levaram para a sala de recuperação e me disseram que eu iria para o quarto assim que eu conseguisse movimentar minhas pernas… e eu tentava, tentava e tentava, mas nada das minhas pernas responderem às minhas ordens, rs (isso dá uma aflição)…

Mas, de repente, uma enfermeira se aproximou com um pacotinho e o colocou ao meu lado direito, apoiado sobre o meu braço… eu consegui virar minha cabeça e vi dois olhinhos pequeninos olhando pra mim… que delícia! Só de relembrar este momento, me emociono…

E o melhor ainda estava por vir… a enfermeira posicionou a Rafa perto do meu seio e a aproximou… pra nossa surpresa (minha e da enfermeira, rs), ela pegou de primeira o bico do meu seio e começou a sugar… meu Deus, eu tava amamentando!!!!

Mal conseguia me mexer e já tava curtindo uma das coisas que mais desejei na vida: amamentar minha bebê!!!  E eu comecei, com dificuldade, a conversar com ela, cantar “Aos olhos do Pai”… e ela sugando o colostro que saía pouquinho dos meus seios…

Minha bebê tão linda, tão grandinha, tão boazinha… ficamos, eu e ela, na sala de recuperação umas 02 horas aguardando a minha melhora… e foi tão bom! Depois que ela parou de mamar, continuou aconchegada no meu lado e dormiu… e eu chorava bem de mansinho, sorrindo e chorando de tanta alegria, enquanto observava o meu milagre materializado na minha frente…

“Então, a nossa boca encheu-se de riso, e a nossa língua de cantos de alegria.
Até nas outras nações se dizia: ‘O SENHOR fez coisas grandiosas por este povo’.
Sim, coisas grandiosas fez o SENHOR por nós, por isso estamos alegres”. Salmo 126:2,3.

OBRIGADA SENHOR JESUS!!! Meu melhor Amigo…

Ah, olha que pacotinho lindo e apaixonante:

fotos-tatiana-106

Meu Milagre! 3 abril, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
4 comments

Chegou o momento de compartilhar o dia mais incrível da minha vida até hj: 06-03-2009, o dia em que a Rafa nasceu… vou contar tintin por tintin, rs…

Meu despertador tocou às 07h da manhã e de imediato, senti um friozinho na barriga… o grande momento havia chegado! Senti um misto de ansiedade, medo, alegria… e de pronto, me levantei pra tomar o último banho com a minha barriguinha… enquanto isso, o maridão continuou na cama, se despedindo do soninho que ele teria que abdicar nos próximos meses, hehe…

Era uma sensação tão maluca! E eu ainda torcia para que tivesse início o meu trabalho de parto… queria sentir contrações, perder o tampão mucoso, ou melhor, que a minha bolsa rompesse!!! Sempre achei o máximo a célebre frase: “minha bolsa estorou!”, dita tanta vezes em filmes e novelas, rs… mas, nadica de nada… a Rafa continuava pipocando no meu ventre, sem dar nenhum sinal de que queria sair de lá!

Porém, não havia mais necessidade de esperar… estava completando 40 semanas e 1 dia de gestação, e ela estava mais que “madurinha” pra nascer…

Meu obstetra havia me avisado que eu deveria chegar ao Hospital Brasília às 09h da manhã para ser internada, sendo que meu parto ocorreria por volta do meio-dia. Orientou-me, ainda, que eu deveria permanecer de jejum, podendo apenas tomar um copo de suco antes das 08h da manhã.

Assim, tomei um suco de acerola e partimos para o Hospital Brasília, que fica no Lago Sul… como era uma sexta-feira, enfrentamos um pouquinho de trânsito e levamos uns 35 minutos pra chegar lá… enquanto isso, entre coração acelerado e frio na barriga, eu pensava que em poucas horas conheceria uma nova pessoa que, literalmente, já nasceria muito importante pra mim!

Chegamos ao Hospital, fomos ao Setor de Internação resolver a questão burocrática que, graças a Deus, foi super rápida! Ah, não posso deixar de mencionar que fomos atendidos por um funcionário bem bacana, Rodrigo, e depois que eu cantei um trecho do hino do Palmeiras (o que a gente não faz por um filho! rs), ele conseguiu um excelente quarto para nós, rs… isto porque quando contratamos o plano de saúde, não tínhamos planejado engravidar tão cedo, e havíamos escolhido o leito de enfermaria, isto é, teria que dividir o quarto com outro paciente em caso de internação…

Mas, graças a Deus (e ao hino do Palmeiras, kkkk), o Rodrigo reservou uma das melhores acomodações para nós, um quarto individual, com cama para acompanhante, ante-sala com sofá para visitas, uma vista linda e outras coisitas dignas de um bom quarto de hotel, rs…

Por volta das 09h30, fomos para o quarto… eu imaginei que, de imediato, eu teria que vestir aquela camisolinha de hospital e teria que tomar soro ou coisa parecida… mas, não… fui informada que só por volta das 11h30 e que começariam os procedimentos…

Ainda havia 2 horas de espera…

O Ti, como de praxe, aparentava tranqüilidade, e aproveitou a cama do acompanhante para relaxar assistindo “Os Padrinhos Mágicos” (um dos nossos desenhos favoritos, hihi) e ainda tentou tirar uma sonequinha… só tentou pq eu não deixei! Tava começando a ficar muito ansiosa e queria atenção! rs…

Pedia pra Papai do Céu uma palavra de esperança para me tranquilizar… eu nunca havia me submetido a uma cirurgia deste tamanho… e começou a “tocar” em minha mente: “Hoje meu milagre vai chegar, eu vou crer, não vou duvidar… o preço que foi pago ali na Cruz, me dá vitória, nesta hora”…

E as 02 horas se passaram… uma enfermeira trouxe a camisola pra mim e me orientou a tirar tudo, brincos, colar e até roupa íntima (a gente perde a vergonha nesta hora, hehehe).

Nesse intervalo, chegaram ao Hospital a minha cunhada Tati e minha prima-irmã, Bruna, que foi quem me acompanhou na sala de parto, porque o maridinho disse que não queria dar trabalho à equipe médica, preferia assistir o parto do quarto (sim, nós contratamos a filmagem para que transmitisse o parto ao vivo no quarto em que eu estava internada).

E logo após, chegou um enfermeiro com a maca em que eu deveria ser transportada… credo! Eu tentei convencê-lo de que estava bem e que poderia caminhar até o Centro Obstétrico, mas, tudo em vão! Fui obrigada a deitar naquele trem… mas, antes, eu, o Ti, a Tati e a Bú nos juntamos para fazer uma oração… meu coração tava a mil!!!!

Deitei na maca e o enfermeiro começou a empurrá-la pelos corredores… comecei a sentir muito medo! Mas, de imediato, pensei que aquela situação era mais amedrontadora para a Rafa do que para mim, afinal, ela só conhecia o meu interior e agora, teria que encarar este mundo!

Decidi me tranqüilizar para que a Rafa tb se sentisse segura… comecei a conversar com ela, explicando o que estava acontecendo, disse-lhe tb que estava muito feliz pq em alguns minutos a gente se conheceria…

Quando chegamos à sala de parto, tudo foi muito rápido… a equipe foi super bacana comigo e em todo tempo, eu conversava e fazia piada com eles… é a minha forma de abstrair a situação… uma enfermeira foi furar o meu braço para colocar o soro e me disse que seria uma picadinha de abelha, mas pareceu de maribondo! E ao invés de reclamar da dorzinha, fiz sorrir, imaginando uma abelha alterada geneticamente para parecer um maribondo, kkkkk …

Aí, veio a parte da anestesia… me posicionaram sentada, com as costas um pouco encurvadas para frente… e eu vi o tamanho da agulha! Mas, novamente, pensei na Rafa e fiquei tranqüila… se doesse, seria só por um instante, logo passava… e assim, foi! Senti a aplicação, mas a parte interessante foi o choque que senti na minha perna esquerda! O anestesista disse que isso era ótimo, pois indicava que ele teria aplicado a anestesia no lugar certo…

Então, me deitaram… e eu senti um mal-estar… fiquei tonta, sonolenta e com um pouco de falta de ar… e meu obstetra  disse que estava começando… algo que tb me tranqüilizou muito foi minha prima Bú, que ficou segurando minha mão por um bom tempo…

De repente, percebi a maca balançar um pouco e escutei um som que, para mim, era semelhante a um estouro de champanhe… aí, ouvi meu médico dizer “seja bem-vinda”, e senti uma emoção louca! Eu queria chorar e gargalhar ao mesmo tempo! Ouvir pela 1ª vez o chorinho da Rafaela foi uma sensação indescritível!

Ela foi trazida pra perto de mim… e aconteceu algo surpreendente: eu senti que já a conhecia há muito tempo, que ela sempre fez parte da minha vida… calma, não estou fazendo apologia a vidas passadas, pois tb não acredito nisso, mas o que quero dizer é que no instante em que eu a olhei nos olhos, que conversei com ela e percebi que ela reconheceu a minha voz e se tranqüilizou, ah, o mundo era só nós duas… senti um amor tão incontrolável, daqueles que a gente dá a vida pelo o outro sem pensar 2 vezes!

Rafaela, mamãe te ama tanto, tanto, tanto…

***********************************

Ainda tenho muito para compartilhar, mas, por enquanto, vou dar uma paradinha, pq há uma mocinha linda requerendo a minha atenção neste momento, rs…

Mas, para aqueles que querem sorrir o meu sorriso, podem assistir um clipezinho do nascimento dela. É só acessar:

http://www.hospitalbrasilia.com.br/partos_online.htm

Login: RAFAELA

Senha: 060309

Bjos pra todos e muito obrigada pelo carinho e pela audiência!!!!  J

 ******************************************

Ah, um dos propósitos de compartilhar minha história neste blog foi para testemunhar o que Deus tem feito por mim, a fim de dar esperança a outros corações…

Por isso, fico super feliz quando recebo um recadinho de quem ainda não conheço pessoalmente, mas que cativou meu coração!

Elisama, muito obrigada pelo recadinho aqui e pelas msgs carinhosas que sempre deixa no meu Orkut! Não sei não, mas tenho a impressão de que Papai do Céu está gerando em seu coração o desejo de ser mamãe tb, rs…

Diane, muito obrigada pelo elogio! Seja bem-vinda!

Luciana, seja super bem-vinda tb!!! Que Papai do Céu te abençoe com a realização dos desejos do seu coração, segundo a vontade dEle que é boa, perfeita e agradável!

Patrícia, que Papai do Céu tb abençoe muito sua gravidez e que vc tenha um parto tranqüilo, rápido e muito feliz!!! Ah, a Rafa vai ter uma amiguinha ou um amiguinho? rs…

Sarinha, Lai, Dezza e Thata! Minhas filhinhas do coração pra sempre! Apesar da distância física, nossos corações nunca se afastaram, né? Amo tanto vcs!!! E assim como torcem por minha felicidade e compartilham dos meus sonhos, eu tb desejo que Papai do Céu surpreenda vcs com toda sorte de bênçãos!!! Prosperidade, um maridão abençoado (a Thata já tem, rs), muitas viagens bacanas e presença de Deus em suas vidas!!!

Antes do Dia D 30 março, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
2 comments

Oiês!

A Rafaela nasceu no dia 06/03/2009, iupi! E desde então, tô tentando atualizar o blog, rs… a cada folga, escrevendo um pouquinho… e hoje, 24 dias depois do nascimento dela, tive uma folguinha (ela tá mimindo lindamente agora, rs) pra compartilhar parte da maior, mais significante e mais surpreendente experiência da minha vida: ser mãe!

Como eu havia dito no post anterior, eu estava completando 40 semanas de gestação na primeira semana de março, isto é, todo o período gestacional, e ainda não havia experimentado nenhum sinal do início do trabalho de parto!

Então, no dia 04/03/2009, quarta-feira, tive uma consulta com meu obstetra, Dr. João Alberto, que se revelou ser a última (que suspense, hehe)… ele me examinou, verificou minha pressão arterial (ok), meu peso (engordei 15 kg), ouviu o coraçãozinho forte da Rafa e fez o exame de toque… e adivinhem: meu colo do útero estava fechadinho, não tinha 1 milímetro de dilatação…

Eu queria muito que meu parto fosse normal, mas, acima de tudo, queria que meu parto fosse o melhor pra mim e pra Rafa…

Diante disso, fomos conversar sobre as possibilidades e as probabilidades… Meu obstetra disse que eu poderia esperar até mais uma semana pra tentar o parto normal, mas que essa escolha talvez não fosse a melhor pq, pela experiência dele, provavelmente eu sofreria muito com as contrações necessárias à dilatação para passagem do bebê, pois estas não ocorreriam de forma gradual, além da Rafa correr o risco de deslocar a clavícula na hora do parto, em razão do tamanho dela…

E a outra opção era a cesariana que, no meu caso, meu obstetra disse que seria mais tranqüilo… então, combinamos que ele entraria em contato com o Hospital no dia seguinte para agendar o meu parto na sexta-feira, dia 06, e assim, eu teria 2 dias para decidir se faria ou não a cesariana…

Meu coração bateu acelerado! E senti um mega friozinho na barriga ao pensar que em 2 dias poderia ter minha bebê em meus braços!!!

Embora o Ti, meus pais, minha sogra e minhas cunhadas tivessem ficado muito animados com essa possibilidade, eu ainda estava insegura sobre que decisão tomar… e fui pedir orientação ao Papai do Céu, para que a paz dEle fosse juiz em meu coração (Colossenses 3:15).

E foi o que eu senti: muita paz! E muita vontade de conhecer logo minha Rafaela!

Na quinta-feira, véspera do parto, tinha me programado para fazer diversas coisas (escova, manicure, compras…), mas minha barriga tava super pesada e com uma mocinha ainda pipocando dentro dela… As únicas coisas que eu havia me programado e que consegui fazer foi organizar as nossas malinhas e tb visitar os Profetinhas e minha mestra, Kamila (rs)… agradeço muito a Deus pela vida dela pq me ajudou (e ainda me ajuda muito) com várias dicas e com a segurança de que tudo vai dar certo… valeu, Mila!

Quando fui dormir, vários pensamentos passaram por minha mente… era minha última noite como gestante… na próxima, eu já seria MÃE! Lembrei da véspera do meu casamento… da véspera de viagens importantes, como a que fiz pra Colômbia em 2003… da véspera de todos os meus aniversários, que eu considero a virada de ano pra mim… da véspera de dias decisivos, que transformaram minha vida… é incrível como decisões que tomamos, consciente ou inconscientemente, podem mudar totalmente nossas vidas, determinar o nosso futuro!

E tb pensava que, no dia seguinte, eu conheceria uma nova pessoa que faria parte da minha vida pra sempre! Sim, conhecer… pq embora eu tivesse convivido com ela durante 09 meses dentro de mim, a gente ainda não havia se olhado nos olhos… e “se ela não me reconhecer, e se ela não gostar de mim”? Perguntas malucas assim me ocorriam… hehe…

Finalmente, consegui dormir… um novo e lindo dia me aguardava, e eu precisava estar bem pra desfrutá-lo…

************************

Volto assim que tiver mais um tempinho pra compartilhar como foi o parto e a filmagem dele… Bjos e muito obrigada pelo carinho!!!

Mamãe da Rafaela

nanda e rafa

Quanta expectativa!!! 4 março, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
2 comments

Segundo o dicionário, EXPECTATIVA é a esperança baseada em supostos direitos, probabilidades ou promessas; esperança. É uma espera otimista.

Essa palavra tem um significado especial pra mim pq define exatamente como tenho vivido nas últimas semanas: esperando O momento em que a Rafaela nascerá e tornará este mundo mais lindo, alegre e abençoado!

Entrei no 9º mês de gestação, isto é, completei 37 semanas, em 14/02 e desde então, aguardo sinais de que a Rafa está “madurinha” pra nascer.

Nunca considerei uma boa opção agendar o parto cesariano, embora seja mais confortável para os médicos e para os pais (ninguém é pego de “surpresa”), pq pesquisei muito e observei que os bebês que nascem de cesárea, sem que haja qualquer evidência de trabalho de parto, tem uma tendência maior a ter problemas pulmonares (ex.: asma, bronquite…).

Então, resolvi esperar a Rafa dar sinais de que quer nascer… mas, a minha Lindinha continua gostando de sua “casinha”… embora eu tenha a impressão de que não há mais espaço pra ela pipocar (sim, ela parece uma pipoquinha na minha barriga de tanto que pula! rs), ainda sinto ela mexer bastante, se alongando no pouco espaço que lhe resta…

E quais seriam os sinais do início do trabalho de parto? Há 03 maneiras diferentes:

a)    Rompimento da bolsa amniótica, que pode se romper em sua parte inferior quando sairá muita água de uma só vez, ou ruptura alta de bolsa, em que sairá jatos intermitentes, como se perdesse urina sem perceber. O líquido amniótico tem cheiro característico, que lembra água sanitária, e tem uma cor semelhante à água-de-coco. Se o líquido sai esverdeado, é sinal de que o bebê pode estar sofrendo e exige atendimento emergencial. Depois que bolsa se rompe, o ideal é que o parto aconteça em até 06 horas, pra evitar contaminação que podem comprometer a saúde da mãe e do bebê;

P.s: já pensou se minha bolsa rompe no meio da rua ou numa loja, pq não sei ficar parada em casa? Kkkkkk… que mico!

 

b)    Cólicas/contrações: caracterizado pelo endurecimento do útero acompanhado de dor, pequena ainda, como se fosse no fim da coluna ou na bexiga. Essas dores vem e vão com um determinado intervalo regular. Quando as contrações estiverem acontecendo a cada 5 minutos, por um período de 40 minutos, é hora de nascer, corra pra o Hospital!

 

c)    Perda do tampão mucoso: é uma secreção espessa, no colo do útero, que é eliminada quando do início da descida da cabeça do bebê em direção à vagina. Parece um muco nasal e sai, muitas vezes, com estrias de sangue.

Mas, até o presente momento, NADA disso aconteceu comigo! Sinto contrações várias vezes no dia, mas de forma irregular e na maioria das vezes, não sinto nenhuma dor…

 E hj, no final da tarde, terei consulta com meu obstetra, ocasião em que conversaremos sobre como será o meu parto, pq diz-se que o melhor lugar para um ser humano estar até os 09 meses é o útero materno, mas o pior lugar para permanecer após essa data também é o útero. E na sexta-feira desta semana, completo o nono mês.

Eu realmente gostaria que o meu parto fosse normal, pq a recuperação é muito melhor, mas, sinceramente, eu quero mesmo o parto que menos traumatize a mim e a Rafa… não quero ficar horas e horas tentando induzir o parto normal pra depois ser surpreendida com a notícia de que, mesmo após tanto sofrimento, terei que fazer uma cesárea.

Peço a Deus que a boa, perfeita e agradável vontade dEle seja feita em nossas vidas, especialmente no momento do parto. Confio que Ele nos concederá o melhor!

Por isso, amigos e todos aqueles que sentem carinho por mim e pela Rafa, lembrem-se de nós em suas orações…

Assim que tiver notícias, aviso, tá?

Bjos,

Mamãe da Rafa

 

Ah, o Ti flagrou minha expressão no momento em que sinto contrações doloridas. E ainda teve coragem de me pedir pra sorrir, rs… mas, nessa hora, é impossível! hehe

Não reparem a bagunça da minha sala, mas, sim, no inchaço dos meus pés…

contracao

Pq abandonei o blog… :) 21 fevereiro, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
add a comment

Oiês!!!!

Quanto tempo sem postar, mas não abandonei o blog definitivamente!!! Tudo em razão da falta de tempo, rs… o final do mês de Janeiro foi tão cheio de coisas… tive que tratar uma infecção urinária (tomei antibiótico, snif), organizar as coisinhas da Rafa (lavar e passar as roupinhas com todo cuidado, pq só pode usar sabão de coco e de preferência, lavar à mão – graças a Deus pela minha mãe!!!!!), superar algumas dificuldades no trabalho, mudar de casa…

Gente, não é brinquedo, não! E pra mim, o mais complicado é depender de outras pessoas pra resolver tudo isso… todos sabem que gravidez é um “fenômeno” fisiológico, isto é, o corpo da mulher foi arquitetado pra isso (Deus perfeito!!!!), mas o último trimestre de gestação exige muito do organismo materno… imagina, meus órgãos estão trabalhando em dobro, no mínimo!!! Meu coração tem que bombear 2 litros a mais de sangue e por diversas vezes, tenho taquicardia e queda de pressão, razão pela qual já experimentei até desmaio no meio da rua (eu tava sozinha e chamaram o SAMU pra mim, kkkkk). Meu diafragma está sendo comprimido pelo tamanho do meu útero (que já está 1.000 vezes maior que antes da gravidez) e por conseqüência, meus pulmões tem menor espaço para se expandir e aí, minha respiração fica mais rápida e qualquer esforço físico me deixa com falta de ar… o crescimento do meu útero e o peso da Rafa “apertam” a minha bexiga, a ponto de eu ter que ir ao banheiro diversas vezes durante o dia e a noite (tenho que levantar, no mínimo, 4 vezes durante a madrugada pra urinar – e ainda sofro de insônia), sem contar que minhas pernas e meus pés incham muito e tem momentos que só consigo calçar as havaianas do Ti , rs…

Com tudo isso, não consigo mais fazer 25% daquilo que eu tinha costume… não dá mais pra andar sozinha por aí (minha pressão cai sem aviso prévio), evito dirigir pq minha barriga quase encosta no volante do carro e tb já tive queda de pressão no trânsito, a faxina da minha casa que eu conseguia fazer em uma tarde, leva agora 2 dias (p.s: a-m-o ser dona de casa! Deixar minha casa cheirosinha, preparar comidinha pra o marido – só não sei passar roupas! Se me virem toda amassadinha por aí, podem ter certeza que eu tentei! rs) e qualquer esforço físico, exige uma paradinha imediata pra recuperar o fôlego e diminuir a taquicardia…

E mesmo assim, finalmente mudei de casa no início de fevereiro como eu queria há muito tempo, iupi! O Ti ralou, rs… e a primeira coisa que quis resolver foi o quartinho da minha princesa… e enquanto ele resolvia a questão da mudança, minha mãe foi minha motorista na hora das compras das coisas que faltavam pra o enxoval da Rafa (repito, GRAÇAS A DEUS POR MINHA MÃE!!!).

Não sei se é uma falha, mas eu não sei depender de outras pessoas… não gosto de dar trabalho pra ninguém… prefiro eu mesma resolver tudo! Não sei pedir ajuda… não sei responsabilizar outras pessoas por coisas que a mim competem… posso até compartilhar dificuldades com amigos, mas sempre tenho em mente que sou EU quem tem que resolver!

Isso até dificulta meu relacionamento com Papai do Céu… entregar tudo a Ele e confiar, exige de mim muito esforço… ainda bem que Ele tem MUITA paciência comigo e não desiste de mim…

Ah, mas apesar da correria da mudança, eu tô muito feliz com o meu novo “Lar doce Lar”… tá ficando bonitinho e aconchegante, rs… e logo, logo, poderei receber visitinhas dos amigos… já prometi bolo de cenoura com muita cobertura de chocolate pra várias pessoas! Hehe…

E o quartinho da Rafa tá ficando tão legal… tô arrumando tudo com muito carinho e cuidado… não é uma decoração de revista, mas é o cantinho dela e quero que seja especial… algumas fotinhas que tirei (quero colocar ainda alguns quadrinhos e/ou prateleiras nas parte branca das paredes):

comoda1

panoramica

tapete

lustre

Ah, no próximo post, vou falar um pouquinho sobre a fase da gravidez que tô passando e de como a Rafaela tá cada vez mais linda, esperta e saudável!!!!

Bjinhos,

Fê, Nanda, Fernandinha, Letinha e Mamãe da Rafa

Teoria e Prática (não é propaganda do IESB, rs) 19 janeiro, 2009

Posted by nandalmeida in Uncategorized.
add a comment

Completei 33 semanas de gestação no último sábado e agora faltam, no máximo, 7 semanas para eu olhar nos olhos da minha princesinha recém-nascida… e como mamãe de 1ª viagem, tenho tentando me preparar ao máximo pra que eu possa suprir todas as suas necessidades com muito amor, conversando com outras mamães que admiro, observando, pesquisando para tirar minhas dúvidas, adquirindo livros e lendo-os, assistindo DVDs… afinal: é pela falta de conhecimento que as pessoas perecem (Oséias 4:6). Portanto, o primeiro passo é obter informações!

Já assisti em DVD (“Meu Bebê”) como dar banho em recém-nascido, limpar o coto umbilical, trocar fraldas, amamentar (sabia que há diferentes posições na hora do aleitamento materno? Eu não sabia, rs), dentre outras coisas… tá, pessoal, eu sei que tudo isso eu aprenderei na prática, mas, ao menos, não sofrerei com algumas dúvidas na hora “h”, né? Por exemplo, eu não tinha nenhuma idéia de como se limpava o coto umbilical (aquele pedacinho de cordão umbilical que ainda fica preso no recém-nascido) e agora, eu sei! Hehe…

Além disso, após muita pesquisa, comprei um DVD, “O Bebê mais feliz do Pedaço”, em que um pediatra americano, Dr. Harvey Karp, ensina técnicas para acalmar o bebê em crises de choro, com fundamento numa teoria revolucionária e surpreendente: Teoria da Extero-Gestação.

Segundo do Dr. Karp e outros estudiosos, os bebês precisariam ficar um trimestre a mais dentro do útero, mas para evitar as complicações nos nascimentos, por conta da relação do tamanho da cabeça do bebê e a bacia da mãe, nascem antes, e, por isto, imaturos. Como alguns bebês são mais sensíveis do que outros, estes, mais sensíveis sentem muita falta do ambiente uterino e precisam que os pais reproduzam o ambiente para que se sintam mais calmos. Tá achando maluquice, né? Então, dê uma lida nessa breve reportagem da Revista Veja: http://veja.abril.com.br/230305/p_065.html

Ah, o Fantástico tb fez uma reportagem sobre o método do Dr. Karp, veja o link:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM809520-7823-O+FIM+DO+CHORO+DO+BEBE,00.html

Tb comprei o livro “Soluções para uma noite sem choro”, que ensina como desenvolver uma rotina para a hora de dormir do bebê. Sei que acordarei diversas vezes de madrugada para atender às necessidades da Rafa recém-nascida, especialmente para amamentá-la e acalentá-la, mas quero criar uma rotina agradável para mim e para ela, desde pequenininha, para que na medida em que ela for se desenvolvendo, aprenda a dormir tranquilamente a noite toda.

A propósito, como eu relatei em outro post, há mais de 1 mês que eu tenho acordado entre 3 a 5 vezes durante a madrugada para beber água e ir ao banheiro. Todas as vezes que isso acontece, sempre me visualizo acordando para cuidar da Rafa, para me acostumar com as noites em que me dedicarei totalmente a ela (iupi! Não vejo a hora de pegar minha filha no colo, fazer muiiiiito carinho, amamentá-la e olhá-la nos olhos!).

Ah, acabei de encomendar outro livro, “Manual do Bebê: Cuidados e Carinhos que valem pela vida inteira”, do Dr. Ruy do Amaral Pupo Filho, para servir de material de consulta permanente (ou livro de cabeceira, rs), a fim de tirar as dúvidas que forem surgindo nos primeiros meses de vida da Rafaela.

Já percebeu que não vai faltar cuidados à Rafaela, né? Aquilo que estiver ao meu alcance (e talvez até fora dele) para que ela se sinta amada, desejada, protegida, confortável, portanto, feliz, eu farei!!!

Então, além de cuidar do corpinho dela (alimentando-a, ajudando-a a ter um sono tranqüilo, mantendo-a limpinha e saudável), preocupe-me tb com suas emoções, sua personalidade, seu caráter… pq sei que os pais são os responsáveis por determinar o presente e o futuro de seus filhos!

Continuarei este assunto no próximo post, ok? Este aqui já tá grandinho, rs…

Bjos da mamãe desta mocinha sorridente (às 28 semanas de gestação – linda!):

rafa-sorriso